Lista de sugestões de filmes interessantes. Cada postagem traz foto, breve sinopse, censura, diretor, distribuidora, elenco, responsáveis pelo roteiro, musica e fotografia. Com o eterno deslumbramento de fã apaixonada, By Star Filmes acredita que o cinema emociona, ensina e é a melhor diversão.

domingo, 16 de novembro de 2014

E a Vida Continua

The Talk of the Town
(1942) 118 min (14 anos) preto e branco

EUA, Nova Inglaterra - Quando a fábrica de tecido da cidade de Lochester pega fogo, o proprietário Andrew Holmes acusa o funcionário Leopold Dilg do incêndio criminoso que causou a morte do capataz da fábrica. Instigados por Holmes, os habitantes da cidade se voltam contra Leopold, um ativista político que estava sempre reclamando das condições de trabalho. Dilg é preso e condenado à morte num julgamento falho, sem que haja evidências de sua culpabilidade. Quando surge a oportunidade, o prisioneiro foge da cadeia e vai se esconder na casa de Nora Shelley, uma antiga colega de escola.

Nora está arrumando a residência que será alugada durante o verão ao professor de Direito Michael Lightcap. O jurista de Harvard precisa de sossego para escrever um livro e chega à cidade um dia antes do combinado. Em um curto intervalo de tempo, Nora é surpreendida por Leopoldo e pelo novo inquilino. Apresentando Dilg como o jardineiro Joseph, Miss Shelley tenta conciliar uma situação perigosa. Para contornar os possíveis problemas, se oferece como secretária e cozinheira ao professor, enquanto seu mordomo não chega. 

Desta convivência surgem sentimentos de amizade e respeito, assim como um interesse amoroso dos dois homens em relação a Nora. O mais interessante é a posição divergente dos três em relação à necessidade de obediência rigorosa à letra da Lei. No devido tempo, cada um deles terá uma decisão importante a tomar, que decidirá a vida dos outros dois.

"E a Vida Continua" poderia ter vários outros títulos, de acordo com as alternativas sugeridas para o original em inglês ("The Talk of the Town"). (wikipedia) Meus favoritos teriam sido "A Justiça Pisca um Olho" ("Justice Winks an Eye"ou "Escândalo em Lochester" ("Scandal in Lochester"). Escandalosos foram o crime, a atitude do juiz e do juri - condenando sem provas - e a reação dos habitantes da cidade, que, incitados por Holmes, queriam linchar Leopold. 

Importantíssimo é o discurso final de Lightcap, sobre a necessidade de valorizar a Justiça e praticar a Lei, não apenas ao pé da letra, mas respeitando-a no espirito em que foi criada. Para vivermos numa democracia verdadeira, todos devem ter as mesmas oportunidades e ser tratados como iguais perante a Lei. 

Jean Arthur e Cary Grant centralizam o humor na historia mas o ator do cinema mudo, Ronald Colman, se sai bem em todo tipo de cena, como o professor de Direito Michael Lightcap. O estúdio considerou dois finais alternativos, nos quais Nora preferia Leopold ou Lightcap. Mas todos os rascunhos do roteiro do diretor George Stevens consideravam a escolha atual. Tenho certeza de que teria me agradado há 40 anos atrás. Atualmente teria preferido a outra opção de Miss Shelley... 

Curiosidade:
* Foi a primeira vez, desde a época do cinema mudo, em que o nome de Ronald Colman aparece depois de outro protagonista masculino.

Diretor: George Stevens
Roteiro: Irwin Shaw & Sidney Buchman, baseado em historia de Sidney Harmon
Musica: Friedrich Hollaender
Fotografia: Ted Tetzlaff
Diretor de Arte: Lionel Banks
Elenco: Jean Arthur, Ronald Colman, Cary Grant, Edgard Buchanan, Glenda Farrell, Charles Dingle, Emma Dunn, Rex Ingram, Tom Tyler
Distribuidora: Colecione Classicos

*** excelente
** ótimo
* bom

Sem Asterisco - interessante
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

banner